29/07/2015

Ascensão

Existe um conflito interior que é a chave da roda das encarnações. O ser desce, encarna por estar preso à roda das encarnações. Está preso pelo fio do conflito. Enquanto houver conflito interior, enquanto o ser não se pacificar com os seus próprios opostos, não consegue ascender e consequentemente sair da roda das encarnações.

Perder conflito é compreender que o mundo é feito de opostos. É acreditar, por mais difícil que seja, por mais abrupta que pareça essa realidade, que esses mesmos opostos podem coexistir. No dia em que acreditares que duas coisas diametralmente opostas podem coexistir. No dia em que acreditares que podes ter as tuas opiniões e o outro pode ver o mundo de outra maneira e ter as suas próprias opiniões.

No dia em que deixares de julgar que as tuas opiniões estão certas e que as do outro estão erradas, e compreenderes que são apenas duas opiniões. Apenas duas formas de ver a vida. Apenas dois opostos do mesmo eixo. E que nenhuma é melhor nem pior do que a outra. Porque na vida cabem essas duas maneiras de ver o mundo, mas cabem muitas mais. E todas estão correctas. E todas são viáveis. E todas são possíveis.

No dia em que tu próprio, dentro do teu peito, deixares coexistir duas emoções antagónicas, pelo simples motivo de que existem e pronto. Sem te julgares, sem achares que uma emoção é melhor ou pior do que a outra. No dia em que conseguires vibrar por esta frequência tão alta e tão improvável para um ser humano.

Nesse dia, o conflito será abolido. E estarás pronto para ascender. Estarás pronto para te soltares da roda das encarnações; e vir cá para cima sentir outro tipo de energia. Vir cá para cima continuar a tua evolução noutras paragens.


Jesus
(Mensagem de Luz / Alexandra Solnado)

24/07/2015

Duas opções

Imagina uma batalha, em tempos remotos. Imagina que tens 5000 soldados. E imagina também que o inimigo tem 5000 soldados também. Podes fazer duas coisas: Ou atacar – e pelo facto de terem o mesmo número de soldados, a batalha poder ser sangrenta e ter muitas baixas. Ou ficar – e, embora ganhando tempo, correres o risco de ser atacado –, sabendo que a força da defesa não tem a mesma assertividade do que a força do ataque.

Como escolher? As duas opções têm prós e contras. Se escolheres pelo ego, qualquer escolha que faças poderá virar-se contra ti, e causar prejuízos vãos. Se escolheres pela alma, por mais que ocorram contratempos, serão sempre professores na tua via de evolução.

Como escolher? O que é ego e o que é alma? Como saber? Simples. Coloca a tua consciência no teu peito. E fica. Põe os teus pensamentos no teu peito, e sente. Sente uma das opções. Como é que o teu peito fica? Alegre? Triste? Pesado?

Agora faz o oposto. Sente a outra opção. E vê como está o teu peito. Tenho a certeza de que, assim, vais conseguir aceder à tua alma. Ela fala com o teu coração. E se promoveres a junção destes dois, poderás contar evoluir até ao fim dos teus dias.

Jesus 
(Mensagem de Luz / Alexandra Solnado)

18/07/2015

Você vive a sua vida? ou cria a sua vida?

A diferença entre uma e outra é tremenda.

Você até pode sentir-se bem com a sua vida. Faz o que tem de fazer mas depois também se diverte, também faz o que lhe apetece, quando, como e com quem lhe apetece. Mas não é disso que estou a falar.

Criar a sua vida é totalmente diferente. É explorar toda a criatividade que você tem dentro de si e manifestá-la em todas as áreas, aspectos e momentos da sua vida. É ser criativo a cada minuto. Acha que consegue fazer isso?

É mais simples do que pensa. Não é só pegar num pincel e começar a pintar, ou pegar em barro e começar a moldar. É isso também, claro, mas é muito mais. E muito mais acessível do que você julga.

Primeiro que tudo, centrar-se. Encontrar o silêncio dentro de si para poder ouvir o que a sua alma lhe está a querer dizer. Depois pegar nas percepções que está a receber, e nesse momento tudo o que lhe passe na cabeça pode ser importante. Pode ser extremamente revelador. A seguir é hora de começar então a manifestar o que percepcionou, o que sentiu ou recebeu da sua alma. Seja o que for. Podem ser coisas muito simples ou não tão simples. O importante é experimentar. E divertir-se. Ria-se de si próprio. A novidade traz o riso.

Está a ver a quantidade de coisas, pequenas ou não, que podem tornar a sua vida numa curiosa aventura. Porque agora você vai começar a desafiar-se a si próprio. Em que posso ser criativo? O que faço sempre de uma maneira que poderia fazer de tantas?

É divertido. A vida é divertida. Aprenda a rir-se consigo próprio. É uma gargalhada que vem de dentro, acredite!


E veja o que Jesus diz...

Reinventa-te.
Olha para o mais alto de ti próprio e reinventa-te.
Sê mais audaz.
Sê mais vigoroso.
Sê mais enérgico.
Sê mais livre.
Sê mais carinhoso.
Sê mais essencial.
Não te prives de ti próprio, na mais alta vibração que puderes conceber.
Não deixes de perseguir sempre a criatividade necessária para te reinventares.
Sempre.
Sempre.
Sempre.


Jesus
O Livro da Luz, de Alexandra Solnado

Espelho

O que está dentro é igual ao que está fora. Esta é uma máxima que deves decorar para o resto da tua vida. Tudo o que tu atrais fora de ti é porque o tens aí dentro bem no fundo do teu peito. Por isso, pensa:

Quanta violência atrais? Violência física ou psicológica? Quantas pessoas discutem contigo? Quantas te maltratam? Quantas não te ouvem? Quantas ferem a tua sensibilidade? Quantas te impedem de avançar? Quantas não acreditam em ti? Quantas não te respeitam? Quantas te ignoram?

Fica sabendo que tudo o que te fazem reflecte exactamente o que tu fazes a ti próprio. Não lhes queiras mal. Quem te fez isso tudo não é mais do que um espelho do teu interior. És tu que te maltratas, tu que não te ouves. És tu que feres a tua própria sensibilidade. És tu que queres avançar mais do que é possível em boas condições. És tu que não acreditas em ti, e que não te respeitas. Em última análise, és tu que te ignoras.

Olha para ti. Pára de olhar para os outros. Para o que te fazem ou deixam de fazer. Olha para ti próprio e vê o mal que andaste a fazer a ti mesmo. Ao te exigires tanto… ao quereres tanto… ao avançares tão depressa… ao seres tão intolerante contigo. Ao não te perdoares.

Olha para ti próprio e pára um bocadinho. Pára. Sente. Fica. E pode ser que vejas uma luzinha ténue, tímida. A da tua essência. Essa luz está só à espera que olhes para ela, em vez de olhares para os outros. Que a valorizes, em vez de valorizares os outros. E que te ames. E com certeza, assim, podes atrair o verdadeiro amor.

Jesus
(Mensagem de Luz / Alexandra Solnado)

08/07/2015

Mentira

Porque é que as pessoas mentem aos outros? Porque é que as pessoas mentem a si próprias? Por um motivo muito simples. É extremamente desconfortável encarar a realidade. É muito difícil o desconforto de ter que confrontar uma pessoa com o que ela não quer aceitar. Mas como é que isso se dá?

Pois bem, vamos por partes. Mentir a si próprio. É a pior de todas as mentiras. É aquela que desfalca o ser humano. Aquele ser que não se aceita, não aceita as suas limitações e deficiências, não aceita que não é como os outros, e principalmente não aceita que não é suposto ser como os outros nem como os outros estão à espera que ele seja. Esse ser vive num conflito interno permanente. Esse ser nunca será feliz. Cria a ilusão – e acredita nela – de que é aquilo que é mais confortável para si próprio, sem se preocupar em cuidar do que está a fazer à sua energia original.

Depois há os que mentem aos outros. Esse ser é apenas cobarde. Eu não estou a dizer que vocês têm de contar tudo da vossa vida a toda a gente; se não querem contar, não contem. Todo o ser humano deveria cultivar algo de misterioso. Não há mal algum nisso. Mas mentir, afirmar uma verdade falsa, isso é que não. Podem apenas dizer que não querem comentar esse assunto, ou que não vos apetece falar. Mas mentir, nunca.

Não se esqueçam de que todas as vossas acções atraem consequências. E a mentira, a partir do momento em que é uma manipulação energética da verdade, traz sempre consequências de manipulação. E eu não sei se vocês vão gostar dessas consequências.

Jesus 
(Mensagem de Luz / Alexandra Solnado)

01/07/2015

Fase

Não deixes passar esta fase. Não fiques à espera que ela passe. Não fiques à espera que, com ela, passe todo este desconforto e tristeza. Cada fase que vivemos na vida é para ser aproveitada, para ser sentida, para ser integrada.

Integra todos estes acontecimentos na tua energia. Abre a tua estrutura energética para que caibam todas as coisas que te acontecem. Para que elas mexam contigo, para que elas te mudem.

Esta fase é a melhor fase para a tua alma. Ela gosta de mudança, gosta de rearmonização. Deixa que esta fase te mude, te rearmonize. Ela traz consigo o ser que estás para ser, se conseguires senti-la e trabalhar com ela. Não desprezes o poder desta fase. Não te demitas da evolução que ela promove.

E quando tudo tiver passado, quando tiveres cruzado esses mares revoltos, vais por fim encontrar o mundo novo, e vais perceber que eu afinal tinha razão.

Jesus 
(Mensagem de Luz / Alexandra Solnado)