23/12/2015




Amor e Medo

Qual a energia que te faz avançar? O Amor ou o Medo? É que na verdade só existem estas duas frequências aí em baixo na matéria. E a única coisa que tens de fazer é escolher. Escolhes o amor ou escolhes o medo. Escolhes vibrar por mim ou escolhes vibrar pela escuridão.

Sentes saudades de alguém? Vibra pelo amor. Quando sentes saudades de alguém e essas saudades doem, mesmo na dor, podes vibrar pelo amor. Como? É simples. Quando vibras pela negativa, pela falta que essa pessoa te faz, quando vibras pela dor de não a ter, estás a vibrar pelo medo. Medo de a perder. Medo de não a ter.

Se escolhes vibrar por mim, pelo amor incondicional que o céu te dá, pensa apenas em quanto a amas, mesmo que ela esteja longe. Sente esse amor, profundamente. E fica, assim, só a sentir esse amor. Vais notar que o teu peito se enche de luz, e toda a tristeza se vai.

Quando estás triste por uma situação ter acontecido, estás triste, magoado, estás infeliz e angustiado... Isso é vibrar pelo medo. Tens medo de sofrer, e por isso rejeitas a dor que o acontecimento te traz. Consequentemente rejeitas o acontecimento. Mas mesmo aí, podes escolher vibrar pelo amor. Pensa que esse acontecimento foi apenas um veículo para te provocar algumas lágrimas. E essas lágrimas estavam aí já há tanto tempo a pedir para serem derramadas.

Este acontecimento veio dar-te a oportunidade única de chorares, de vivenciares uma dor que talvez seja mais antiga do que julgas. E como vibras pelo amor, amas a consciência que tens hoje de que os acontecimentos tristes vêm para que possamos fazer lutos de tristezas antigas. Amas a consciência. Amas o Universo que te trouxe o acontecimento. Amas-te a ti por perceber. E, em última análise, amas-me a mim por te ensinar tudo isto.

Alexandra Solnado

16/12/2015

Imagina

Não deixar entrar. O segredo é esse. Não deixar entrar. Imagina um dia em que a tua energia está tão resolvida, tão concentrada, tão esclarecida e emancipada. Imagina um dia em que o teu sistema energético vibra pela tua única e inconfundível frequência. Que vibra pela energia una da tua alma, e que se mantém assim inalterada, para o bem e para o mal, imune às interferências do exterior, às interferências dos humores e da matéria. Era só isto que eu queria que tu fizesses. Só isto.

E como sei que o «só isto» é muito, dou-te uma dica. Não deixar entrar. Tenta não deixar entrar as informações que vais tendo na matéria. Os problemas surgem? Devolve-os, mas sem os deixar entrar dentro da tua energia. Resolve-os, sem te alterares, sem deixares que a energia densa de um obstáculo «suje» a tua própria energia.

Existe um conflito? Resolve-o, mas sem deixar entrar. Olha para ele, sabendo que ele tem a importância que tem, e mais nada. Não o deixes perturbar a tua vida. Toma só cuidado para que esse «não deixar entrar» seja real, de dentro para fora, e não apenas uma racionalização das emoções.

É claro que se, por vezes, não conseguires fazer isto, não conseguires não deixar entrar, é claro que se, em alguns casos, o conflito te tocar forte e fundo, até nessa altura saberás o que fazer. Chora, abre o peito e retira a densidade. Não culpes ninguém. Se a energia do conflito entrou é porque havia uma memória de dor para soltar. E depois disso feito, volta à matriz. Centra-te. Volta a sentir a tua energia e tenta não deixar mais nada entrar.

Este é um dos maiores segredos da vida. E um dia, quando já nada, mas absolutamente nada, entrar para te perturbar, quando só entrar amor, afecto e energia sensível, nessa altura terás terminado a tua função na terra e poderás vir cá para cima sem medo de ser puxado novamente pela roda das encarnações. Nessa altura o teu espírito e a tua alma irão unir-se definitivamente – pois terminou a experiência da matéria – para poderem, juntos, continuar a sua jornada rumo à eternidade. 

Alexandra Solnado

10/12/2015

Não ter

Hoje quero falar de responsabilidade. Mas não quero falar da responsabilidade do que fazes. Já falámos demasiado sobre isso. Não quero falar da responsabilidade do que tens. Muito menos da responsabilidade do que és. Hoje, meu amigo, minha amiga, quero falar da responsabilidade do que não tens.

Pensa no que não tens. No que gostavas de ter hoje. No que gostarias de ter tido toda a tua vida, e não tiveste. Pensa que não tiveste ou não tens por algum motivo. Toda a matéria, toda a abundância está disponível para vocês aí em baixo. Tudo está à disposição da vossa energia. E se vocês não conseguem as coisas, é pura e simplesmente porque essas coisas não fazem parte da vossa energia. Não são para vocês com a energia que têm hoje.

Agora pensa que se mudares a tua energia, essas coisas pelas quais anseias podem começar a fazer parte do teu sistema energético… Não as coisas que desejas para ser rico, não as que desejas para mostrar aos outros. Pura e simplesmente as que desejas para te sentires feliz a usufruir delas, porque essas coisas, na matéria, te fazem ficar mais próximo da tua essência e consequentemente da tua alma. E nós, cá em cima, nunca negamos um pedido da alma, quando isso é adequado energeticamente.

Resumindo. Tudo o que não tens hoje é da tua inteira responsabilidade. Atraíste esta situação pela força de vibrares de uma determinada maneira. E mudar a frequência energética tem que ver com escolha e compromisso. Agora, cabe-te a ti fazer a tua escolha e estabelecer o teu compromisso. 

Alexandra Solnado