26/12/2013

Simpatia

A simpatia é um registo de um plano sagrado. A simpatia é emanar em direcção ao outro a energia de aceitação. Tudo o que é aceite transforma-se em energia positiva. De cada vez que uma energia densa recebe aceitação, ela se dissolve, ela se desloca. A partir daí, todo o tormento seca, ficando apenas a paz. A revolta é energia sem aceitação, energia com aceitação é paz.

A cada acontecimento na tua vida, a cada contratempo, pensa: onde não estou a vibrar pela aceitação? O que é que me falta aceitar? O que é que me falta transformar? Quem não aceita é o ego. E a partir do momento em que a energia é transmutada, o coração abre, e recebe tanto amor que irás necessitar, invariavelmente, de o distribuir pelos teus irmãos.

Isso é o que vocês aí em baixo chamam de simpatia. Uma pessoa leve, que já aceitou as suas limitações, já chorou os seus lutos, já se abriu aos céus, já recebeu amor e agora emana. Apenas emana. Tratando cada pessoa que se cruza no seu caminho como uma alma. E as almas, quando andam de mãos dadas, o caminho é melhor percorrido. 


Jesus 
(Mensagem de Luz, Alexandra Solnado)

Feliz Natal


19/12/2013

Amor Incondicional

Hoje vamos falar do Amor Incondicional. É o amor proibido. É o amor que todos almejam, todos querem tocar. É o amor que não olha a credos, comportamentos; que não olha a status, religiões, condicionalismos, nem condições. É o amor total. O amor sem medo, sem julgamento. Sem memória nem vingança. É o amor absoluto.

Aquele que ama e pronto. Ama por amar. Ama sem condições. Sejas tu o que fores, faças tu o que fizeres, atraias as consequências que atraíres, vivas a vida que viveres, eu estarei sempre aqui. Sempre pronto. Sempre inteiro, a amar-te como és. Como escolheste ser desta vez, nesta vida. Não coloco condições, não ponho entraves. Amo, só.

E essa é a minha maneira de te proteger, de te orientar, de te compreender e de te elucidar. A vida vai ensinar-te. Eu vou amar-te. E a vida e eu, nós os dois completamo-nos na orientação da tua passagem pela terra.Abre o teu coração. Deixa o meu amor entrar. Só quando receberes o meu amor incondicional, só quando te sentires protegido pelo céu, só nessa altura poderás emanar amor.

Emanar amor para ti próprio – o que naturalmente irá ajudar a perdoares-te e a aceitares-te como realmente és –, emanar amor para os outros – o que irá trazer mais amor como consequência –, emanar amor para a terra e os animais – o que prolongará a estadia do ser humano no mundo.

Abre o teu coração. Religa-te ao que sentes. Pára um pouco de pensar, de correr, de voar sem saberes para onde nem porquê. Pára. Olha para o teu coração e abre-o. E deixa-me entrar. Devagar, aos poucos. Deixa-me entrar e deixa-me permanecer aí. E vais ver que tudo se torna claro. Tudo se transforma em luz. E eu passo a ter mais um motivo para estar aqui. Esse motivo és tu.

Jesus 
(Mensagem de Luz, Alexandra Solnado)

12/12/2013

Velas dos Anjos


Ajude a Selvagenial - Associação Protectora de Animais Abandonados, comprando uma vela,  ou velão do Amor, Saúde, Sorte, Fortuna, Felicidade, etc, para ter em casa, oferecer a um amigo(a), ou familiar...  :-) Obrigada por ajudar!!!



11/12/2013

Perdão

"Falta perdoar. O que falta é perdoar. Mas perdoar não é pouco, perdoar é o essencial, é o incómodo, o difícil, o invencível. Para perdoar há que entender. Para perdoar há que compreender todos os lados. E há que perdoar todos os lados. Ninguém perdoa o outro se não se perdoar a si próprio. E ninguém se perdoa a si próprio se não sentir que foi perdoado por mim.

Que só uma pessoa que tem acesso a esse sentimento tão poderoso, tão libertador, como o de ser perdoado, só uma pessoa que, através do céu, se liberta da sua culpa, só essa pessoa poderá perdoar-se e consequentemente perdoar alguém. Tudo o resto são fantasias.

Podes achar que perdoaste. Podes agir como quem tenha perdoado. Podes até dizer, verbalizar que perdoaste, mas se não te tiveres libertado da tua própria culpa através do perdão do céu, se não te tiveres perdoado por tudo, tudo, tudo, se não tiveres entendido que tudo o que te fizeram ou que tu fizeste faz parte do plano inteligente e sagrado de que a tua vida é composta… Se todos estes factores não se encaixarem, como podes perdoar alguém? Como podes aliviá-lo da sua própria culpa?

Um ser que perdoa, que sabe vir cá acima receber o perdão do céu… Que não está sempre a auto-restringir-se por achar que não merece ou que não pode receber. Que consegue sentir no mais fundo do seu coração esta energia do amor incondicional, do «Amo-te por tudo o que tu és, amo tudo o que fizeste e o que te fizeram. Amo a tua alma».

Esse ser que consegue chegar a esse estágio de evolução, saberá amar a alma do outro, saberá perdoá-lo e amá-lo incondicionalmente pelo que ele é. Principalmente pelo que ele escolheu ser. Porque só podes perdoar alguém quando escolhes amar o que a pessoa escolheu para si. Sem julgamento. Como vês, perdoar não é o início do processo. Perdoar é o fim."

Jesus 
(Mensagem de Luz, Projecto Alexandra Solnado)

Constelações familiares

No dia 26 de Dezembro, 5ª feira, vamos ter o Terapeuta de Desenvolvimento Pessoal - José Miguel O. Silva (Vila Nova de Gaia) - no centro Beladonna em Monção para fazer CONSTELAÇÕES FAMILIARES.

É uma terapia de grupo (mínimo 10 pessos).

Existem 2 maneiras de participar: 1 - Constelar (a pessoa apresenta o seu problema, tem um custo de 70€); 2- Assistir (a pessoa assiste à terapia e existe sempre algo que ressoa, tem um custo de 30€). É uma terapia óptima, desenvolvida por Bert Helinguer, um psicoterapeuta alemão, para tratar situações que se repetem na nossa vida (padrões) e das quais não conseguimos identificar a causa.

Tanto para constelar como para assistir, a duração é o dia todo (horário a combinar). De manhã, exploramos a teoria à volta das constelações familiares e à tarde será a parte prática. Eu já experimentei assitir e recomendo! Acontecem coisas mágicas! Desta vez, vou aventurar-me a constelar...

Deixo aqui mais alguma informação, sobre este método:

"As constelações familiares, ou sistémicas, são uma metodologia que permite ao cliente a possibilidade de olhar, ver, sentir, percepcionar ou perceber um determinado tema, questão, bloqueio ou situação. Apesar de denominado pelo autor – Bert Hellinger – de constelações familiares, esta poderosa ferramenta possibilita abordar qualquer tema para além dos familiares.

O princípio básico é a representação, por pessoas (representantes) ou objectos, dos elementos intervenientes em determinada questão, de forma a podermos ver e sentir a dinâmica presente nesse contexto. Por exemplo quando a questão é familiar representam-se os familiares do cliente, já quando a questão é profissional representam-se os colaboradores… e se for emocional representam-se as emoções.

Considerada uma abordagem muito verdadeira e por vezes bastante reveladora de situações até então “ocultas”.

"Se me perguntam em que casos poderemos utilizar as constelações, talvez numa primeira resposta direi que em todos os casos que não compreendemos algum sofrimento que se repete na nossa vida pessoal ou familiar… mas este método é excelente para muitas outras questões, temas de luto, divórcios, despedidas… ou ainda questões que envolvem escolhas e decisões onde as constelações podem ajudar a mostrar a imagem interna do cliente dando-lhe força para assumir a direcção que verdadeiramente pretende.
- José Miguel O. Silva (facilitador)"

De acordo com a terapia sistémica de Bert Hellinger, a harmonia na vida em família acontece quando cada um dos seus membros ocupa o seu lugar de direito, assume os seus papéis na vida, cuida de si mesmo e evita interferir no destino do outro.

A maioria das dificuldades pessoais e dos problemas de relacionamento decorre de desordens nos sistemas familiares. Essas desordens acontecem quando, sem termos consciência ou intenção de fazê-lo, incorporamos nas nossas vidas o destino de outras pessoas que, às vezes, viveram num passado distante. Isso faz com que repitamos o destino de membros da família que foram excluídos, esquecidos ou cujos lugares não foram reconhecidos.

As principais leis que atuam nas dinâmicas familiares parecem ser:

Todos têm direitos iguais de pertencer ao seu sistema familiar;
Há uma hierarquia na ordem de nascimento. Os que nasceram primeiro têm preferência sobre os que vieram depois;
Os pais dão e os filhos recebem,
A figura masculina ocupa a primeira posição na hierarquia, mas ela trabalha ao serviço da figura feminina.
A violação dessas leis pode ocorrer, de forma não intencional, de muitas maneiras:
Quando bebês são abortados, ou não se faz o luto pelos nados-mortos ou não se fala mais neles (não se reconhece a perda, não se expressa a tristeza sentida pela perda)
Quando crianças ou adultos jovens morrem e não se faz o luto por eles
Quando os filhos são doados para adoção e não se fala mais neles
Quando os pais adotivos não reconhecem os pais biológicos dos filhos adotados
Quando ex-parceiros ou relacionamentos importantes não são reconhecidos e honrados nos casais
Quando relações extraconjugais são mantidas em segredo
Quando vivências relacionadas com guerras não são lembradas e os mortos honrados
Quando há segredos de família
E muitas, muitas outras…

Quando qualquer das situações acima acontece, os efeitos são sentidos por muitas gerações, às vezes, duas ou três gerações depois. Esses efeitos manifestam-se sob a forma de suicídio, depressão, infertilidade, doença física ou mental e dependência química, com frequência sem que se tenha a menor consciência do que aconteceu nas gerações anteriores.

A violação da ordem natural do sistema causa emaranhados. As crianças começam a tornar-se como os pais, envolvem-se com as questões que dizem respeito aos pais, sofrem, elas próprias, na crença de que assim os pais sentir-se-ão bem. À medida que crescem, com frequência sentem raiva e algumas tentam rejeitar a própria família, numa tentativa de viver uma nova vida, separadamente. Às vezes, mudam-se para o outro lado do mundo para se desprenderem das questões familiares, mas isso não funciona. Quando permanecem ligadas às suas famílias desta forma, não estão livres para seguirem os seus próprios caminhos e, ao formarem um novo lar, nunca conseguem estar totalmente disponíveis porque ainda estão presas aos pais.

O que acontece num grupo de constelações?

O método da constelação é muito simples no seu processo básico. O terapeuta pede ao cliente, num grupo terapêutico ou de desenvolvimento pessoal, que posicione, de acordo com as suas mútuas relações, pessoas significativas relacionadas à questão ou necessidade apresentada por ele. São, por exemplo, pessoas mais íntimas de sua família de origem, às vezes apenas ele e os seus pais ou ele e um sintoma que o incomoda.

Para representar as personagens, o cliente escolhe certos participantes do grupo e posiciona-os no recinto, de acordo com as suas relações, sem fazer comentários. Isto deverá ser feito a partir do seu sentimento ou do “coração”, portanto, sem buscar justificações, sem escolher um determinado período da sua vida e sem imaginar determinadas cenas que vivenciou na sua família. Simplesmente deixa-se conduzir por um impulso interno indiferenciado e por uma atitude amorosa.

Normalmente é preciso haver clareza sobre quem representa uma determinada pessoa da família ou algum sintoma, como o “medo” ou alguma entidade abstrata, como o “segredo” ou a “morte”.

Eventualmente o terapeuta solicita ao cliente, no início do trabalho, informações sobre a história da sua família para sentir o “peso anímico” e saber com que personagens poderá começar a constelação. Quanto menos souberem os representantes mais a constelação se desenvolve a partir da energia do não julgamento. Contudo, via de regra, é apenas através de informações essenciais que uma constelação recebe o impulso para a sua condução. É surpreendente verificar que no decurso da constelação os representantes guiam-se mais pelo que sentem do que pelas informações do cliente ou pelas suposições eventualmente levantadas pelo terapeuta.

Depois de posicionar os representantes, o cliente senta-se. Após algum tempo de concentração, o terapeuta pede aos representantes que comuniquem os seus sentimentos, eventuais perceções e sintomas corporais. Eventualmente pode pedir-lhes que expressem os seus sentimentos apenas seguindo os seus impulsos de movimento ou então combina o movimento espontâneo dos representantes com perguntas, depois de algum tempo.

Dessa maneira, o conhecimento que a alma do cliente tem sobre a sua família e sobre as forças que nela atuam toma-se visível e experimentável para o próprio cliente, o terapeuta e todos os participantes do grupo. O decisivo é que o movimento dos representantes, seja ele autónomo ou conduzido pelo terapeuta, conduza a um final que traga liberação e alívio, a uma “imagem de solução”. Baseado nas informações anteriores, ele pode introduzir outras pessoas da família, por exemplo, os avós do cliente, uma ex-noiva do pai, ou uma criança que nunca nasceu.
A constelação fica em paz quando, ultrapassando a dinâmica do destino, os membros da família ali representados se reencontram com respeito e amor, os anteriormente excluídos são reintegrados e cada um pode assumir o lugar que lhe compete.

Quando a dinâmica e o caminho da solução ficam claros, o cliente é muitas vezes introduzido pessoalmente na constelação para sentir, no seu próprio lugar, o sistema reconciliado ou reordenado. Frequentemente, além do movimento dos representantes com vista ao futuro, as soluções demandam ainda um ritual, por exemplo, uma reverência ou uma frase curta entre determinadas pessoas ou entre o cliente e determinadas pessoas, principalmente os seus pais, para que o movimento da alma no seu conjunto possa ser levado a um bom termo e também para que fique claro para o cliente, através das frases, o que o prende e o que o solta no sistema."

Fonte: A prática das Constelações Familiares – Jakob Schneider citado por CTG: Centro de Terapias de Gaia

PARTILHEM COM QUEM POSSA ESTAR INTERESSADO!
E confirmem até dia 15, quem quiser participar.
Obrigada :-)

09/12/2013

Cerimónia Temazcal em Mondariz





Ceremonia de Temazkal
La Ceremonia Ritual del Temazcal es una Práctica Integral de Sanación, en beneficio de los tres Planos del Ser Humano: Cuerpo, Mente y Espíritu.
El Temazkal o Inipi, es una Antigua Ceremonia Nativa Americana, cuyo propósito es la Purificación tanto del cuerpo como del alma.
El Temazkal, es considerado como un Lugar Sagrado, en el que se va a pedir por algún propósito para nuestra vida, o simplemente a agradecer y recibir la Bendición y la Purificación de los Cuatro Elementos: Tierra, Agua, Aire y Fuego.
Lo que sucede en el interior del Temazkal es un misterio que vale la pena ser vivido, pero mas allá del Ritual, el Temazcal es altamente beneficioso para el cuerpo; a través de un nivel de temperatura, se logra una secreción de Toxinas; es además muy beneficioso contra el reumatismo, ayuda también a la circulación de la sangre y actúa contra la sinusitis, asma y otras dolencias.
Pero además de los beneficios físicos, también es un desafío para nuestra mente, ya que el Temazcal alcanza la temperatura necesaria para darnos así la posibilidad de traspasar y superar nuestros miedos y traumas.
Terminadas las Cuatro Puertas, honrando a las Cuatro Direcciones del Espacio, los participantes salen del vientre de la Madre Tierra para Nacer a una Nueva Vida.
Algo ha cambiado, hemos hecho contacto con nuestra raíz más profunda y logrando una estrecha relación con la Medicina Ancestral de la Tierra.
OFRECEMOS ESTE TRABAJO ESPIRITUAL, PARA QUIENES DESÉEN
MEJORARSE, EN TODOS LOS PLANOS DEL SER.
LAS PLAZAS SON LIMITADAS, LLAMA PARA INFORMARTE Y RESERVA LA TUYA CON TIEMPO.
LUGAR: "Quinta da Calma"
Toutón - (Mondariz)
DÍA: 14 de DICIEMBRE (Sábado)
HORA: Durante la tarde
INFORMACIÓN: TFS. 986 43 13 31 - 658 77 10 15