22/03/2017

O portal oculto do Sonho

Os sonhos que temos à noite são extremamente importantes. São um portal para uma outra dimensão oculta, inconsciente. É nesta dimensão que o mundo energético pode manifestar-se, para que a pessoa consciencialize questões que tem para resolver, ou sensações que tem para usufruir... porque também há sonhos bons.
Por isso, o facto de as pessoas quererem entender o significado dos seus sonhos é perfeitamente legítimo. Não só legítimo como evolutivo.
O problema é como é que fazem isso. Consultar dicionários de sonhos, dicionários de símbolos, ligar as imagens que viram a dormir com a sua realidade para tentar entender os sinais não é eficaz. Nunca foi. As pessoas ficam perdidas, sem entender. E quando acham que descobriram o significado, este é muito diferente da mensagem que a sua energia quer passar. Porque é baseado na mente lógica.
Esta lição de Jesus tem sido incrivelmente importante na minha vida:
– O problema dos dicionários dos sonhos, dos dicionários de símbolos, é que são demasiadamente generalistas. Uma imagem ou um símbolo estão diretamente ligados à compreensão que a própria pessoa tem dessa imagem ou símbolo. É impossível generalizar. Cada caso é um caso, cada pessoa é única e cada imagem é talhada para dar a essa pessoa a sensação do seu verdadeiro significado. Cada pessoa interpreta à sua maneira, por isso é impossível que um livro traga a explicação correta para todas as pessoas.
Claro que há símbolos universais, é verdade. Mas a coisa mais importante a entender num sonho é a dimensão emocional das imagens. Todos os símbolos estão ali para transmitir uma emoção.
Aprofundando: O sono é o mais próximo que o ser humano – o que não tem prática de Meditação – pode alcançar da dimensão energética, porque acede ao inconsciente. O inconsciente é tudo o que vocês são, mas que não sabem que são. Para tentares entender o que os teus sonhos te estão a querer dizer, para tentares alcançar essa outra dimensão oculta, faz o seguinte:
Quando acordares, antes mesmo de abrires os olhos, em vez de te focares nas imagens do sonho, foca-te na emoção que ele te deixou. Não é por acaso que vocês se esquecem dos sonhos, é mesmo para esquecer... o que interessa no sonho é a emoção que ele deixou. Em vez de ficares a tentar lembrar-te do sonho, da imagem do sonho – é um esforço que só ativa a tua mente – tenta ficar com a emoção que sentiste quando acordaste. A emoção que trazes do sonho, do sono. Fica só a sentir essa emoção, só a sentir e a fazê-la crescer.
Ela pode ser boa ou pode ser má. Se for boa, é uma bênção. Fá-la crescer o máximo possível, pois ela pode ser um grande combustível para o teu dia. Se a desprezares porque estás à procura da imagem do sonho, vais perder a bênção. Alimenta-a, aumenta-a, faz o teu corpo todo vibrar por ela e vais ver que ela vai alimentar o teu dia, a tua vida.
Se for uma emoção negativa, é porque há alguma dor bloqueada – que não estavas a conseguir alcançar – que está ativar -se e a pedir para ser drenada e processada. Para que faças o luto e a libertes. Muito provavelmente é uma dor de Vidas Passadas, ou que ainda não conheces, ou que já anda a martirizar-te há algum tempo, e à qual tu não tens dado a devida atenção.
Nesse caso, concentra-te nessa emoção negativa, fica aí, fá-la crescer. Concentra-a no teu peito, como se fosse uma bola preta de densidade.
Se prestares atenção a essa emoção pesada, dolorosa, se te relacionares com ela, se a fizeres crescer, vais acabar por envolver-te com ela, aceitá-la, chorá-la e consequentemente libertá-la. A única coisa que não deves esquecer é de – quando estiveres a chorar – colocar simbolicamente um tubo aspirador no teu peito para levar a densidade, a energia negativa que está a ser libertada.
A energia é como se fosse plasticina, nós podemos manipulá-la. Cada vez que choramos, devemos colocar um tubo aspirador simbólico no peito para levar essa energia negativa embora. Como se houvesse uma bola de plasticina preta no peito que o tubo aspirador leva lá para cima, para o Céu, para ser transformada em Luz. E como essa energia é nossa, depois de transformada em Luz vai voltar em forma de bênção.
– Cada vez que acordares, pensa no teu peito. Independentemente do sono que tiveste, do sonho que possas ou não ter tido. Vai ao teu peito e vê como é que ele está.
Tenta aceder ao que trouxeste do sono, sem te preocupares com as imagens. Depois, numa segunda fase até podes analisar se as imagens têm a ver com a emoção, pois também podem ser de uma Vida Passada. Mas para já, faz só isto.
Cada vez que te relacionas com uma emoção negativa, mesmo que a tenhas trazido de uma noite má, estás a libertar dor enclausurada, e a evitar que a vida tenha que te enviar uma experiência desagradável para que lhe dês importância. O sono é a primeira forma – a mais leve – que a vida tem de te trazer dores antigas e inconscientes para as processares e libertares. Se o conseguires fazer nessa altura, em que é só perda virtual*, – não há perdas materiais, não há problemas para resolver –, tudo é mais fácil. Se não te relacionares com essa dor do sono, se não a libertares, ela vai ficar aí. E sendo o teu sistema energético um íman, vais acabar por atrair uma situação problemática na vida, que vai ativar essa mesma dor no teu peito, para que faças esse mesmo processo. Se a dor está aí, se é antiga, vais ter que a libertar, não há nada a fazer. Ou a libertas quando a vida envia só a dor num son ho, por exemplo – e aí vais ter que ignorar o teu ego, aquele cuja voz fala dentro da tua cabeça:
– “Mas que disparate! Porque que é que acordei triste? Não aconteceu nada! Agora estou para aqui a chorar! Bora lá pensar noutra coisa que isto já passa!”
Ou então vais acabar por atrair uma situação desagradável, de perda, para que sintas essa mesma dor e lhe dês importância. Se te respeitares e processares essa dor quando acordas com um nó no peito, se a chorares e libertares quando ainda é só uma dor, ela vai sair do teu sistema energético e é muito menos provável que atraias uma perda na vida, alguma coisa que te faça ativar esta dor – pois ela já não está lá.
E se fizeres isto sempre – a cada sonho, a cada nó no peito ao acordar –, o que é que estás a fazer? Estás a adiantar-te à vida. Estás a colaborar com ela. Estás a processar e a limpar as tuas dores antes que a vida tenha que te trazer a perda. Esse é um dos motivos principais pelos quais eu digo:
– Viver a espiritualidade é uma das melhores formas de evitar as perdas na vida.
Porque com estes recursos podes adiantar-te às perdas. Limpas a dor antes que a vida venha e tenha que fazer esse trabalho na matéria. E concordas comigo que uma vida sem perdas é uma vida muito mais feliz.

in "Conexão - O que Jesus me ensinou"

Sem comentários:

Enviar um comentário